Quarta-feira, Outubro 24, 2018
Início Livros Auto-Ajuda Voar Mais Alto – Factos e Memórias

Voar Mais Alto – Factos e Memórias

ISBN: 978-989-8574-22-0

,

Prefácio

A comoção torna difícil prefaciar este livro‑homenagem, tão sensível e generoso como autêntico, humano e altruísta. Evoco, por isso, a poesia minha companheira de certezas e dúvidas, alegrias e angústias, perdas e compensações, criação e inventiva, obstáculos da fala ou compulsão para a deriva da palavra, prazer e dor, tristeza de não conseguir dizer o que se sente ou sentimento de plenitude no silêncio que diz o que falta em qualquer escrita cristalina e lúcida. Mais do que o pensamento é a sensação que aqui me guia. Lembro então a voz poética de Alberto Caeiro, personagem ficcional de Fernando Pessoa, o seu interesse pela natureza, nossa mãe eternamente presente, os seus versos livres, a sua linguagem simples e familiar. E partilho com os leitores o excerto deste seu poema em que podemos considerar que o presente livro se encerra:

Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentio como o sol e a água,

De uma religião universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não pedi cousa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum.

Não desejei senão estar ao sol ou à chuva —

Ao sol quando havia sol

E à chuva quando estava chovendo (E nunca a outra cousa),

Sentir calor e frio e vento,

E não ir mais longe.

(…)

Por fim, importa que se diga que o impulso inicial e decisivo deste prefácio, que me sensibiliza e honra, vem antes de mais de quem mo pede, a autora, a minha muito especial amiga Helena Barros, assim como da pérola genuína que é este belíssimo livro, incentivo generoso a Voar mais alto, título em forma de abertura feliz que ora emociona ora consola seres em perda cuja crença na vida nunca abandonou. Livro e autora mergulham raízes numa motivação profunda, individual e colectiva que fortemente nos atrai, encanta, entristece e anima. Nascem, palpitam, vivem e perduram como a natureza poética de Alberto Caeiro.

Maria Otília Lage

Autor(es)

Helena Dinis Barros

Ilustrador(es)

Ilustrador: António Alves